“Eu me sentia cansado, no corpo e na mente.”
Charles Bukowski. (via autorias)


“Tenho esse problema de fragilidade, muitas vezes me abalo por coisas pequenas e sem importância.”
Gramaticas. (via autorias)

“A felicidade não entra em portas trancadas.”
Chico Xavier (via autorias)


“Tinha a impressão de que todo mundo estava me vendo e, também, uma sensação esquisita de vergonha. De ser culpado, uma bosta, a quem faltava qualquer coisa, feito formiga mijada ou bala de metralhadora que não acerta o alvo.”
Charles Bukowski    (via endorfinar)

“Que não falte bons sentimentos. Que nos falte egoísmo. Que nos sobre paciência. Que não nos falte esperança. Que cada caminho escolhido nos reserve boas surpresas. Que cada um de nós saiba ouvir cada conselho dado por uma pessoa mais velha. Que não nos falte vontade de sorrir. Que nenhum de nós se esqueça da força que possui. Que não falte fé e amor.”
Caio Fernando Abreu. (via distanciarei)


“Mas o que eu estava pensando era no universo querendo ser notado e em como eu havia reparado nele da melhor forma possível. Eu me sentia em dívida com o universo, uma dívida que só a minha atenção poderia saldar, e, além disso, me sentia em dívida com todo mundo que deixou de ser uma pessoa e com todo mundo que ainda não tinha chegado a ser uma pessoa.”
— A culpa é das estrelas

Há 1 semana 0 notas · reblog

“A gente se ajeita
numa cama pequena,
te faço poema,
te cubro de amor.”
Banda Eva. (via sutilizar-se)

“Você era meu verso, palavra desmedida que buscava a eternidade. Tudo seu era pra sempre, como se não existisse o mundo lá fora e nem deuses a conspirar contra ou a favor. Era como ‘nunca mais’ fosse um ponto fora de rota, sabe? E toda nossa poesia seguisse em linhas retas.”
Fred Medeiros. (via escriturastes)


Achava que fosse um anjo disfarçado de um garoto qualquer. Não tinha asas, mas me cuidava tão bem quanto um.”
Thiara Macedo. (via errografa)

“Eu só queria te lembrar, que aquele tempo eu não podia fazer mais por nós, eu estava errado e você não tem que me perdoar.”
Charlie Brown Júnior.   (via gratificar)

March 11 [...]
Ter vinte e poucos anos não quer dizer nada. Trinta. Quarenta. Quinze. Vinte. Noventa. O que importa, no fundo, é quem você é quando está sozinho. Como você é quando está acompanhado. O que sobra quando a luz apaga. O que resta quando o sol acorda.
+